Les uns et les autres

Não é estranho: há apenas duas ou três histórias humanas, e elas continuam a repetir-se tão ferozmente como se nunca tivessem acontecido antes, como as cotovias neste país, que foram cantar as mesmas cinco notas ao longo de milhares de anos.”

Willa Sibert Cather, em ‘Os Pioneiros’, Parte II

Um exímio explorador desta citação foi o cineasta francês Claude LeLouch. Utilizou-a como base em duas de sua obras: Les auns et les autres (Retratos da Vida – 1980) e Les Miserabeles (Os Miseráveis – 1995).

Les auns et les autres termina com um cena memorável: o ballet sobre  Bolero, de Maurice Ravel, concebido por Maurice Bejart e apresentado por Jorge Donn.
Um ‘gran finale’ onde todos os personagens aparecem e, digamos, se entrelaçam.
Segue abaixo a cena:


.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s