Surpreendidos pelo anunciado

por Wesley Cavalheiro

De repente, não mais que de repente, me espanto… De repente, sou surpreendido pela notícia, pelo acontecimento, me dou conta do inesperado. A surpresa encontra-me despreparado e eu acabo tragado por ela.
Nada acontece de repente. Quando percebemos algo súbito este já era gerado e alimentado há algum tempo em um processo similar à geração e nascimento de novas criaturas, sejam do mundo animal ou vegetal. Sua existência precede sua exposição.

No mundo corporativo, os elementos que no mundo animal são chamados de embriões e no mundo vegetal, de sementes, são chamados de ‘fatos portadores de futuro’: pequenas ocorrências, insignificantes até, mas com grande potencial em seu desdobramento, seja para o bem ou para o mal.

Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Jesus, o Cristo – Bíblia, RA, Mateus 16.3). Um colega certa vez comentou que a bíblia é um livro para ser garimpado. Seus tesouros mais valiosos não estão disponíveis a leitores superficiais e desatentos. Penso que esta frase de Jesus é um destes textos que, se estudados em detalhe, pode nos fornecer um rico material capaz de prover instrumentos para cumprir os papéis que nos são confiados com conhecimento, inteligência e sabedoria.

Quando lida superficialmente é comum ter uma abordagem negativa: questionamento do Mestre; a exortação quanto à falta de fé; etc. Entretanto, penso que a frase de Jesus pode ser entendida e estudada sob um aspecto positivo: existem sinais à nossa volta que nos indicam a propensão dos acontecimentos e, assim, nos proporcionam a antecipação de ações apropriadas (com conhecimento, inteligência e sabedoria) seja para fazer frente a obstáculos, seja para aproveitar oportunidades. Deixar de valer-se desses sinais, é cair no erro apontado por Jesus – e estacionar na abordagem negativa do texto – o que, de certa maneira, é falhar no exercício com excelência dos diversos papéis que exercemos no meio da sociedade.

Uma das maneiras – e um exemplo interessante – do bom uso deste princípio espiritual pode ser visto em Davi, o rei de Israel em 1010a.C. Diz o relato histórico que “…vieram a Davi… homens armados para a peleja… dos filhos de Issacar, conhecedores da época, para saberem o que Israel devia fazer, duzentos chefes e todos os seus irmãos sob suas ordens…” (Bíblia, RA, 1 Crônicas 12.23-36). Em outras palavras, o estadista, o líder de uma nação, fez o que atualmente se denomina “ouvir peritos” acerca de assuntos de governo. Paulo, o apóstolo, em um de seus discursos menciona Davi: “Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração, conforme o desígnio de Deus, adormeceu, foi para junto de seus pais e viu corrupção” (Bíblia, RA, Atos 13.36). Em suma, Davi, para cumprir o seu papel, buscou conhecer sua época para saber o que deveria fazer, somente “descansando” após ter seu papel cumprido.

Alguns dos processos contemporâneos, dentre os vários existentes, de planejamento estratégico utilizam cenários prospectivos e, para elabora-los, são consultados peritos de diferentes áreas. Por meio de ferramentas específicas, as opiniões são trabalhadas de modo a fornecerem aos responsáveis pela decisão final as informações relevantes, como: fatos portadores de futuro, probabilidades da ocorrência de eventos, e influência de determinado evento sobre outros.

Em suma, o futuro que desejamos depende de se desenvolver a sabedoria de se discernir o momento que se vive e de se navegar nas ondas que se prenunciam.

Medite: 1) como podemos identificar sinais de tendências sobre mercado de trabalho, mercado de consumo, profissões, vida conjugal, comportamento de filhos, religiosidade, espiritualidade, situação psicossocial e econômica de uma sociedade ou grupo? 2) como se antecipar a estas tendências de modo a gerar oportunidades e evitar dissabores? 3) quais as características que uma pessoa deve ter para desenvolver a percepção de sinais e, sobretudo, para agir conforme os sinais que lhe chegam?

Palavras de sabedoria: “‘o futuro que desejamos depende de se desenvolver a sabedoria de se discernir o momento que se vive e de se navegar nas ondas que se prenunciam.”

Sabedoria da palavra:Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Jesus, o Cristo – Bíblia, RA, Mateus 16.3)

Viva compaixão
Wesley W. Cavalheiro é Treinador Comportamental e Coach Pessoal, Profissional, Executivo, e Corporativo, com Certificação Internacional. Informações e contatos: <www.Lumen4You.net>

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s