Consciência e espiritualidade

espiritualidadepor Wesley W. Cavalheiro

Não sou teólogo, tampouco filósofo ou psicólogo. Daí, a minha abordagem sobre o tema é tão somente a de um ser em busca de si mesmo e de sua natureza. Quanto mais me embrenho nesta busca, mais forte fica minha convicção de que a ‘espiritualidade’ seja o que, em última instância, nos caracteriza como seres humanos. É ela que nos diferencia, por fim, das demais espécies. Todo ser humano é, por definição, um ser espiritual. A questão é para onde essa espiritualidade está direcionada. Há um rumo que leva a nos identificarmos mais proximamente com a divindade. Há outra direção que nos leva a sermos seres bestializados. Entre esses dois caminhos há uma gama infinita de possibilidades. Penso que a espiritualidade seja dimensionada por três componentes: o significado, a consciência e as escolhas.

Estar consciente é ter a capacidade de percepção dos momentos que constituem o nossa vida, identificando neles as demonstrações de quem realmente somos, as manifestações dos nossos desejos e dos nossos medos mais profundos, ou seja, o que, de fato, nos move e determina quem somos. Para Riso e Rudson[1], a conscientização dos mecanismos da nossa personalidade, do que nos faz agir e reagir em nossos relacionamentos, família e trabalho, é o que nos leva à possibilidade de encontro com a nossa essência, ao que há de divino em cada um de nós. “Quando conseguimos notar o que estamos fazendo e apreender completamente e sem julgamentos nosso estado atual, os velhos padrões começarão a ruir”, afirmam.

A consciência da própria natureza transcendente, da essência, de pertencimento, do que se é e do que não se é; dos papéis sociais que nos cabem no nosso tempo e espaço; da presença do outro e de sua singularidade; e, como diria Shakespeare, do que há a mais entre o céu e a terra do que podemos ver ou imaginar[2], indica a qualidade e a intensidade de nossa espiritualidade. Não se trata do que pensamos ou filosofamos ou discorramos a respeito destes pontos, mas de como as vivenciamos, o que independe de cultura ou educação ou religião, mas da habilidade em transcender os limites das dimensões do tempo e do espaço.

Em relação a esta habilidade encontro em Jesus uma singularidade: dentro das limitações da forma humana viveu neste mundo transcendendo as suas dimensões físicas e temporais.

Eu e o Pai somos um[3]. “o Pai está em mim, e eu estou no Pai[4]. “Meu reino não é deste mundo[5]. “Eu sou o pão da vida[6]. “Eu sou a luz do mundo[7]. “Eu sou a porta[8]. “Eu sou o bom pastor[9]. “Eu sou a ressurreição e a vida[10]. “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida[11]. “Eu sou a videira[12]. Estas são algumas das citações de Jesus que expressam sua consciência sobre a sua natureza, sobre seu pertencimento no contexto temporal e transcendente, sobre si mesmo, sua essência e sua existência. Jesus abriu, e abre-nos, caminho para uma alternativa de vida de espiritualidade plena.

Segundo Ed René Kivitz[13], a espiritualidade [cristã] é o resultado do relacionamento pessoal com Deus, que implica a manifestação do Seu poder, amor e justiça em todas as dimensões da vida. Tal manifestação só é possível a partir de uma consciência prática de si e de seu contexto.

Pode-se dizer que a humanidade se divide em três tipos de pessoas: da grande maioria que não tem consciência sobre o que acontece nos bastidores do dínamo deste mundo; uma parte que tem consciência parcial dos acontecimentos, posto que esta se limita aos aspectos físico-temporais; e uma pequena parcela que tem consciência de sua transcendência e de seu papel no contexto de seu local e de sua época.

Considere: 1) Da presença contínua e ativa do divino no cotidiano de nossas rotinas? 2) Qual o grau de consciência de si mesmo, de seus desejos mais profundos, bem como de seus medos mais profundos, em cada momento de seu dia a dia? 3) Qual o grau de consciência que você tem de sua inserção e de seu papel em um universo que extrapola as dimensões dos sentidos naturais?

Palavras de sabedoria: “a espiritualidade [cristã] é o resultado do relacionamento pessoal com Deus, que implica a manifestação do Seu poder, amor e justiça em todas as dimensões da vida.”

Sabedoria da palavra: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. (Bíblia, RA, João 14.6).

wesley-caricat1Viva comPara onde você está indo?paixão

Wesley W. Cavalheiro é Coach Pessoal, Profissional, Executivo, e Corporativo, com Certificação Internacional e Treinador Comportamental formado pelo Instituto de Formação de Treinadores (https://lumen4you.net/agenda/ift/). Contato: <www.Lumen4You.net/contato>


[1] http://www.enneagraminstitute.com/

[2] “há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vão filosofia” (Shakespeare, Hamlet, Ato I, cena V)

[3] Bíblia, RA, João 10:30

[4] Bíblia, RA, João 10:38

[5] Bíblia, RA, João 18.36

[6] Bíblia, RA, João 6:48

[7] Bíblia, RA, João 8:12

[8] Bíblia, RA, João 10:9

[9] Bíblia, RA, João 10:11

[10] Bíblia, RA, João 11:25

[11] Bíblia, RA, João 14:6

[12] Bíblia, RA, João 15:5

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s