Relações de trabalho(*)

Colorful_EnneagramFuncionamento de Equipe & “Os 9 Domínios de Funcionamento” segundo o Eneagrama

por Wesley W Cavalheiro

Nossos locais de trabalho são sistemas de relações e, quanto mais saudáveis esses sistemas forem, melhor o trabalho que será produzido. Uma equipe de trabalho tem uma espécie de “personalidade interpessoal”, um estilo de relacionamento que pode ser mortal ou estimulante, inflexível ou adaptável. Mesmo um entendimento básico de personalidade e seu efeito sobre o estilo interpessoal podem ajudar os membros a navegarem pelo terreno – muitas vezes difícil – das conexões profissionais. O Tipo de Personalidade do Eneagrama é provavelmente a ferramenta mais poderosa do planeta para esse tipo de avaliação, para a sensibilização e transformação profunda das formas que aparecem no mundo do trabalho.

O Eneagrama é um sistema que propõe nove tipos ou estruturas de personalidade. Acumula uma tradição oral de cerca de 4.500 anos, que nas últimas décadas vem sendo resgatada, com sinais de grande potencial de ajuda. Situa-se como proposta de ponte entre a Psicologia e a Espiritualidade. É uma tipologia dinâmica, aberta ao crescimento, que se coaduna com as descobertas das grandes escolas psicológicas da atualidade, integrando-as e indo além delas, em uma dinâmica que consegue conjugar profundidade e simplicidade de compreensão. É um instrumento de autoconhecimento e sobretudo um caminho de crescimento!

Hoje, no vasto mundo das aplicações do Eneagrama, encontramos muitos outros horizontes. No universo corporativo, o Eneagrama ganha força como ferramenta privilegiada na área de recursos humanos. Embora em algumas empresas sua aplicação seja deturpada para fazer seleção de pessoal, outras aproveitam sua riqueza para melhorar o crescimento pessoal de seus funcionários, o relacionamento interpessoal, a identificação da afinidade das pessoas com cada área de trabalho e inclusive na descoberta do perfil de cada empresa ou instituição que, sendo um organismo vivo, tem também o seu Tipo de Personalidade e a partir dele pode encontrar caminhos de crescimento interna e externamente.

Aqui reside sua especial riqueza: além de ser uma chave de leitura para a pessoa se entender, ele aponta pistas concretas de amadurecimento, ajudando cada pessoa a desenvolver suas potencialidades e a lidar melhor com seus pontos fracos. Não promete milagres. É um mapa claro que indica o caminho mas não substitui o esforço pessoal. Nenhum Tipo é melhor que o outro. Todos têm potencialidades fantásticas e todos têm tendências negativas. Tudo depende do nível de desenvolvimento. Não há julgamento moral: as tendências são geralmente inconscientes e devem ser encaradas naturalmente como humanas.

Recente postulado de Don Richard Riso apresenta possibilidades de mudanças significativas na forma como se trabalha os desafios de relacionamentos interpessoais que grupos de trabalho, equipes e organizações enfrentam diariamente.

A capacidade de estabelecer e manter boas relações tem sido, comprovadamente, o fator mais significativo no sucesso profissional. Se estamos em uma mesa redonda de brainstorming com os colegas, ou em qualquer das fases da produção – desde a primeira semente de uma ideia até o dia que se torne um produto chegue às prateleiras das lojas – ou no computador de uma lan house para o envio um primeiro esboço a um editor de um manuscrito que levou oito meses para ser composto em um local remoto, em algum momento, levamos o nosso trabalho para o mundo das relações profissionais. E, para melhor ou pior, nós trazemos nosso estilo interpessoal junto com ele. Como espécie humana temos descoberto o quanto ganhamos ao nos envolver, de alguma maneira, com outras pessoas durante o processo de trabalho e que os obstáculos relacionais que daí podem resultar valem a pena ser enfrentados.

Esses obstáculos relacionais são um produto da combinação única de cada equipe de trabalho de estilos interpessoais. Com o treinamento em práticas de avaliação, o estilo, a conscientização e a transformação no nível da equipe ou a nível individual e a química relacional da equipe podem ser continuamente analisados e aperfeiçoados. Em certo sentido, essas práticas mantém organizações em seu limite crescente de lidar com questões relacionais antes que essas questões comprometam o progresso e / ou inovação.

Riso observa que “Os sistemas que são fracos ou com falta de até mesmo alguns dos domínios não são susceptíveis de funcionar bem ou de sobreviver por muito tempo. Aqueles em que todos os nove domínios estão presentes e funcionando bem, no entanto, não só têm uma chance melhor de sobreviver, mas de crescer e ter um melhor e mais robusto funcionamento”. Assim como os indivíduos funcionam melhor na medida em que têm disponível uma gama mais ampla de pontos fortes de personalidade, todos os sistemas relacionais funcionam melhor quanto mais os pontos fortes de personalidade se apresentam na mistura interpessoal.

Uma vez que o Eneagrama é uma ferramenta de desenvolvimento psicológico universalmente aplicável – segundo meu ponto de vista, inigualável no mundo da ciência de personalidade em sua capacidade de orientar as pessoas para o caleidoscópio ilimitado de potencial no comportamento humano, na capacidade de resposta emocional e despertar mental – é razoável supor que os Nove Domínios do Eneagrama desenvolvidos por Riso sejam aplicáveis às relações profissionais proporcionando e promovendo ótimo funcionamento e produtividade. Na medida em que você lê abaixo as breves descrições dos Nove Domínios e suas possíveis contrapartidas relacionais na vida organizacional, considere quais fatores estão presentes ou ausentes em suas conexões profissionais:

Domínio 1: Necessidade de princípios, ordem e ética

Quem está incorporando os lembretes para manter uma posição irrepreensível, honrosa em relação à comunidade ao entorno e no mundo? Existe respeito pelas vozes que focam no equilíbrio, na objetividade, na lógica, na equidade, na justiça e na ordem em torno da mesa de trabalho, e dentro de mim mesmo? Quais são as éticas interpessoais implícitas desta equipe?

Domínio 2: Necessidade de cuidados pessoais e conexões com os outros

Quais colegas mantém os lembretes na organização de que as pessoas precisam de zelo, apreciação e cuidado? Há espaço aqui para a conexão, o calor e o relacionamento pessoal vital para qualquer contribuição significativa que eu ou alguém fizer na organização e vital para qualquer contribuição significativa que esta faça para o mundo?

Domínio 3: Necessidade de auto-aperfeiçoamento, progresso e reconhecimento

Neste círculo de colegas de trabalho, nos sentimos bem sobre nós mesmos na presença um do outro? É o ar cheio de “gosto”, estima, admiração e valorização durante as reuniões? Quem garimpa e mentoreia os talentos potenciais insubstituível dos indivíduos excepcionais que surgem por meio da nossa organização?

Domínio 4: Necessidade de significado pessoal e a capacidade de encontrar satisfação estética

Existe um equilíbrio entre valorizar o desejo do grupo para concluir tarefas e valorizar o desejo de cada membro para entender a si mesmo e seus sentimentos e motivações no que diz respeito a essas tarefas? Será que aumentar a consciência de cada um sobre o fato de que a vida é curta, e que as muitas horas de que passamos no trabalho precisam ser passadas em um único sentido de propósito, fazendo o que é pessoalmente significativo e bonito, de alguma forma?

Domínio 5: Necessidade de conhecimento e exploração em profundidade da realidade

Há membros da nossa comunidade de trabalho que concentram a atenção na importância do conhecimento, compreensão e experiência? Será que se juntar a eles em paciente respeito em relação à infinita complexidade da vida e da necessidade de continuar buscando a verdade objetiva? Há empenho de tempo em nossas reuniões para estudar em profundidade a realidade sem interferência ou prejuízo?

Domínio 6: Necessidade de pertencer e para dar e receber apoio de grupo

Existem companheiros que frequentemente ajudam a criar um verdadeiro espírito de equipe? Será que experimentamos camaradagem, pertencimento e apoio, uma sensação de trabalho em “casa” ou “família” neste ambiente de trabalho? Somos capazes de nos conectar uns aos outros em nossos esforços e compartilhar uma experiência de contribuir para algo maior do que eu?

Domínio 7: Necessidade de variedade, liberdade de experimentação e mudança

Alguém no grupo defende a mudança, a variedade? Alguém se certifica de que há uma abundância de estimulação mental e emocional no ambiente de trabalho? Somos capazes de ficar em um contínuo, livre, vibrante intercâmbio de ideias uns com os outros? Será que aproveitar da vida poder apetites, apreciação e gratidão durante o horário de projeto, ao invés de relegar os sucos alegria para tardes de sexta-feira?

Domínio 8: Necessidade de autoafirmação, independência de tomada de decisão e ação

Quem no grupo é conhecido tanto pela habilidade de defender quanto de afirmar? Somos capazes de estar com a necessidade de força e energia de cada um e, até mesmo, “contra a energia do outro”, se a situação assim o exigir? As atitudes de independência, ter iniciativa, e estabelecer metas e alcançá-las são homenageadas nesta equipe porque vemos como essas habilidades em qualquer colega podem beneficiar a todos nós?

Domínio 9: Necessidade de estabilidade, harmonia e sem forçar o fluxo

Onde estão os companheiros de equipe estáveis que podem nos proporcionar paz de espírito em meio a tantas mudanças e perdas ao longo dos ciclos de trabalho? Somos capazes de realmente ver a contribuição significativa que a calma desses colegas de trabalho faz? Buscamos entender a nossa conexão com o outro, e nossa conexão com as muitas camadas de sistemas de trabalho maiores, de formas que ajudam a resolver conflitos e tensões, e para desintoxicar o ambiente de trabalho?

 

WesleyCaricCol_cViva comPara onde você está indo?paixão

Wesley W. Cavalheiro é Coach Pessoal, Profissional, Executivo, e Corporativo, com Certificações Internacionais e Treinador Comportamental pelo Instituto de Formação de Treinadores. Contatos: <Lumen4You.net>

 

(*)Adaptado de matérias publicadas em www.enneagraminstitute.com onde o autor foi qualificado.

 

 

 

2 comentários sobre “Relações de trabalho(*)

  1. Republicou isso em Cláudia Krügere comentado:
    Não apenas para o ambiente de relacionamentos corporativos, mas também para nossos relacionamentos pessoais e familiares, este texto desperta uma importante reflexão sobre a heterogeneidade das singularidades. Vale a pena ler e reler até absorver.
    Pois quando entendemos, respeitamos e quando respeitamos, aceitamos sem perder nossa autenticidade.
    Boa Leitura!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s